Netflix: as produções originais estão em alta

A Netflix está a surpreendendo a todos com a quantidade de conteúdo. As séries e filmes são de diversos temas e atingem muitos tipos de público.

São produções que passeiam pelo mundo inteiro, como Alemanha (Dark), Espanha (La Casa de Papel), Brasil (3%), Itália (Suburra: Sangue em Roma), Noruega (Nobel), México (Roma), entre outras nacionalidades. É uma gama infinita de oportunidades que garantem a diversão no sofá, por um preço totalmente acessível.

Para este ano de 2019, a intenção da famosa plataforma é lançar 90 produções originais. Um feito gigantesco, mas será que manterão a qualidade?

O fato de a Netflix não produzir diretamente esses conteúdos, pode variar em relação à qualidade. São poucas produções que vão impactar como Beast of No Nation ou mesmo o enredo impressionante de Black Mirror.

Como cineasta, também preciso avaliar que o tipo de público é bastante diversificado, a mãe assiste, o filho, a vó, neste sentido, a qualidade é relativa e alcançar um maior número de variações produzidas é realmente importante para a plataforma.

Além do mais, esse espaço para mostrar a forma de fazer cinema e televisão de várias partes do mundo traz uma oportunidade que as grandes produtoras não conseguiam proporcionar

Com tanto empenho e revolução total no cenário Blockbusters, a Netflix conseguiu um feito que muitas produtoras tentam a anos, a indicação ao Oscar. Roma, que retrata o cotidiano de uma família controlada pela babá, foi apresentado no Festival de Veneza, de onde saiu com o Leão de Ouro de Melhor Filme. Com 10 indicações ao Oscar, incluindo o de melhor filme, a produção mexicana da Netflix pode proporcionar um dos feitos mais intensos e inusitados à produção de cinema no mundo.

Texto escrito pelo cineasta Daniel Bydlowski para a imprensa.

Related Posts

Leave a comment